Categoria: Impotência

Conheça o melhor tratamento para a disfunção erétil. ELIMINE O PROBLEMA AGORA!

Conheça o melhor tratamento para a disfunção erétil. ELIMINE O PROBLEMA AGORA!

A disfunção erétil é um problema muito típico. Está entre os quatro predicamentos que o homem pode ter, juntamente com a ejaculação precoce e a redução constante da libido.

Conheça também: Xanimal Anvisa

a saúde sexual tem um papel importante na vida. É necessário ser tratado porque pode muito afetar seus relacionamentos interpessoais e até levar à depressão. Isto é identificado por não deixar o homem produzir uma ereção durante o tempo ou com a firmeza que você precisa.

No entanto, isso não significa que, inevitavelmente, se uma deficiência temporária acontece, eu juro por isso, porque é algo completamente recorrente que todos experimentam em algum momento em seu caminho. Mas se o seu supera isso e cerca de 75% do tempo de mostrar essa armadilha talvez você deve ir para um especialista para aconselhá-lo, em toda esta carta encontrará informações sobre os sintomas desta e terapias para deficiência erétil e seus inícios.

Disfunção erétil e seus sintomas
Um dos primeiros pontos a serem tocados seriam os sintomas dessa fase. O que você notará no primeiro momento é a variação na ereção, seja a força ou o tempo que é mantido, o que obviamente não será o mesmo.

Você deve detalhar se é uma decadência por várias razões ou experiências, seja física ou psicológica, colocando um pouco de consideração durante as primeiras horas do dia quando você acorda. O mais comum de ser originado por elementos somáticos é que no começo do dia você não se vê na obrigação de se alterar com as ereções matutinas.

Embora seja de origem por fatores psicológicos, isso ocorre durante um período específico de tempo. Em tal conjuntura, uma vez que um quarto passa sem melhora é ir a um especialista em urologia.

Este pode apresentar diferentes modalidades e para o diagnóstico da indisposto devem ser submetidos a avaliações diferentes que permitem que os médicos definem o que é o início do problema está no stress da vida quotidiana se é por causa da depressão ou se é de algum desequilíbrio hormonal ou atrofia dos nervos.

Em tal fato, recorre-se a medir os níveis de ameaça de prolactina de testosterona de contrair câncer de diabetes entre outros. Se você tem um hábito com cigarros ou álcool, todos esses fatores são de vital importância ao fazer um histórico médico correto.

Nos casos de pacientes mais jovens, eles recorrem a testes físicos e receitas para uma fraqueza erétil um pouco mais complicada, como monitorar o funcionamento do órgão reprodutor durante a noite. O eco Doppler e as injeções servem como uma cura para isso.

Drogas para disfunção erétil
Os especialistas recomendam fortemente o uso de regimes que não sejam muito invasivos, pelo menos no início do processo. Um bom começo seria começar mudando os maus hábitos alimentares e começar a levar uma condição de vida mais saudável.

Continuando com a assistência psicológica, os dispositivos de vácuo e, finalmente, apenas se for necessário, podem recorrer à intervenção cirúrgica. É importante ter em mente que o tratamento psicológico desempenha um papel importante durante o processo de cura.

Isso ocorre porque muitos homens desenvolvem um grave problema de auto-estima como resultado de sua impotência, especialmente aqueles que têm cerca de trinta anos de idade ou menos. A comunidade de urologia européia e americana sugere o uso de inibidores de fosfodiesterase de classe 5 no momento de iniciar a cura fornecida.

Alguns produtos para o tratamento da disfunção erétil
Tadalafil: conhecido como cialis centra-se em aumentar o fluxo sanguíneo do pênis, deve ser ingerido trinta minutos antes da cópula. A alimentação não afeta a absorção deste e pode manter sua eficácia por vinte e quatro horas após a primeira ingestão pode dar dores de cabeça ou rinite.

O vardenafil é comercializado sob a denominação de levitra, da mesma forma que aumenta a torrente do sangue do pênis ao ser estimulado. Deve ser consumido em qualquer lugar de vinte a sessenta minutos antes da relação sexual em comparação a anterior desacelera seu objetivo por comer muitos alimentos gordurosos e durabilidade é de 5 horas contra-indicações traz tonturas, vómitos e febre.

Sidenafilo: é o componente para o tão típico viagra, da mesma forma que aumenta o tráfego de sangue em um resultado de 5 horas. Isso deve ser tomado uma hora antes de manter a fornicação e gerar enxaqueca, sufocamento, alterações visuais e gastrointestinais.

É necessário que fique claro que nenhum dos anteriormente mencionados não deve ser administrado sem receita médica, pois pode representar um grande perigo para a sua saúde. Você deve usar um especialista que realiza a supervisão da deficiência, embora isso geralmente apareça em homens que andam por aí

Fonte: https://www.valpopular.com/xanimal-funciona/

Diagnóstico

Diagnóstico

Para muitos homens, um exame físico e responder perguntas (histórico médico) são tudo o que é necessário para um médico diagnosticar a disfunção erétil e recomendar um tratamento. Se você tem condições crônicas de saúde ou seu médico suspeita que uma condição subjacente pode estar envolvida, você pode precisar de mais testes ou uma consulta com um especialista.

Leia também: Remédio para impotência

Os testes para condições subjacentes podem incluir:

Exame físico. Isso pode incluir um exame cuidadoso de seu pênis e testículos e verificar seus nervos para sensação.
Exames de sangue. Uma amostra do seu sangue pode ser enviada para um laboratório para verificar se há sinais de doença cardíaca, diabetes, baixos níveis de testosterona e outras condições de saúde.
Testes de urina (urinálise). Como exames de sangue, testes de urina são usados ​​para procurar por sinais de diabetes e outras condições de saúde subjacentes.
Ultra-som. Este teste é geralmente realizado por um especialista em um consultório. Envolve o uso de um dispositivo semelhante a uma varinha (transdutor) sobre os vasos sanguíneos que alimentam o pênis. Ele cria uma imagem de vídeo para que seu médico veja se você tem problemas de fluxo de sangue.

Este teste é feito às vezes em combinação com uma injeção de medicamentos no pênis para estimular o fluxo sanguíneo e produzir uma ereção.

Exame psicológico. Seu médico pode fazer perguntas para detectar depressão e outras possíveis causas psicológicas da disfunção erétil.
Tratamento
A primeira coisa que seu médico fará é certificar-se de que você está recebendo o tratamento certo para quaisquer condições de saúde que possam estar causando ou piorar sua disfunção erétil.

Dependendo da causa e gravidade de sua disfunção erétil e de quaisquer condições de saúde subjacentes, você pode ter várias opções de tratamento. O seu médico pode explicar os riscos e benefícios de cada tratamento e irá considerar as suas preferências. As preferências do seu parceiro também podem desempenhar um papel em suas escolhas de tratamento.

Medicamentos orais
Medicamentos orais são um tratamento de disfunção erétil bem sucedido para muitos homens. Eles incluem:

Sildenafil (Viagra)
Tadalafil (Adcirca, Cialis)
Vardenafil (Levitra, Staxyn)
Avanafil (Stendra)
Todos os quatro medicamentos aumentam os efeitos do óxido nítrico – um químico natural que o corpo produz e relaxa os músculos do pênis. Isso aumenta o fluxo sanguíneo e permite obter uma ereção em resposta à estimulação sexual.

Tomar um destes comprimidos não produzirá automaticamente uma ereção. A estimulação sexual é necessária primeiro para causar a liberação de óxido nítrico de seus nervos penianos. Esses medicamentos amplificam esse sinal, permitindo que alguns homens funcionem normalmente. Os medicamentos orais contra a disfunção erétil não são afrodisíacos, não causam excitação e não são necessários em homens que têm ereções normais.

Os medicamentos variam em dosagem, quanto tempo eles trabalham e efeitos colaterais. Possíveis efeitos colaterais incluem rubor, congestão nasal, dor de cabeça, alterações visuais, dor nas costas e dor de estômago.

Seu médico irá considerar sua situação específica para determinar qual medicamento pode funcionar melhor. Esses medicamentos podem não tratar sua disfunção erétil imediatamente. Você pode precisar trabalhar com o seu médico para encontrar a medicação e dosagem corretas para você.

Antes de tomar qualquer medicação para a disfunção erétil, incluindo suplementos e remédios fitoterápicos, informe o seu médico. Medicamentos para a disfunção erétil não funcionam em todos os homens e podem ser menos eficazes em certas condições, como após a cirurgia da próstata. ou se você tem diabetes Alguns medicamentos também podem ser perigosos se você:

Tome medicamentos de nitrato – comumente prescritos para dor no peito (angina) – como nitroglicerina (Minitran, Nitro-Dur, Nitrostat, outros), mononitrato de isossorbida (Monoket) e dinitrato de isossorbida (Dilatrate-SR, Isordil)
Tem doença cardíaca ou insuficiência cardíaca
Tem pressão arterial muito baixa (hipotensão)
Outros medicamentos
Outros medicamentos para a disfunção erétil incluem:

Auto-injeção de alprostadil. Com este método, você usa uma agulha fina para injetar alprostadil (Caverject Impulse, Edex) na base ou na lateral do pênis. Em alguns casos, os medicamentos geralmente usados ​​para outras condições são usados ​​para injeções penianas por conta própria ou em combinação. Exemplos incluem papaverina, alprostadil e fentolamina. Muitas vezes, essas medicações combinadas são conhecidas como bimix (se duas medicações forem incluídas) ou trimix (se três estiverem incluídas).

Cada injeção é administrada para criar uma ereção com duração não superior a uma hora. Como a agulha usada é muito fina, a dor do local da injeção é geralmente menor.

Os efeitos colaterais podem incluir sangramento leve da injeção, ereção prolongada (priapismo) e, raramente, formação de tecido fibroso no local da injeção.

Supositório uretral de alprostadil. A terapia intrauretral de Alprostadil (Musa) envolve a colocação de um pequeno supositório de alprostadil dentro do seu pênis na uretra peniana. Você usa um aplicador especial para inserir o supositório na sua uretra peniana.

A ereção geralmente começa dentro de 10 minutos e, quando eficaz, dura entre 30 e 60 minutos. Os efeitos colaterais podem incluir

Fonte: https://www.valpopular.com/remedio-para-impotencia/

Conheça também: > https://www.valpopular.com/xanimal-funciona/

5 causas comuns de impotência

5 causas comuns de impotência

Doenças Endócrinas
Problemas neurológicos
Medicamentos
Condições relacionadas com o coração
Fatores de estilo de vida
Tratamento
Prevenção
Outlook
A Healthline e nossos parceiros podem receber uma parte das receitas se você fizer uma compra usando um link nesta página.
O que é impotência?
A impotência é uma condição que afeta consistentemente a capacidade de uma pessoa de atingir ou manter uma ereção ou capacidade de atingir a ejaculação. É uma forma de disfunção erétil (DE).

Leia também: Estimulante sexual masculino e feminino, qual é o melhor

Pode haver vários fatores que contribuem para a impotência. Estes incluem transtornos emocionais e físicos. De acordo com o The Merck Manual, estima-se que 50% dos homens com idades entre 40 e 70 anos experimentam alguma disfunção erétil em um momento ou outro. O risco de impotência aumenta com a idade.

Também foi observado que homens com mais escolaridade têm menos probabilidade de experimentar impotência, provavelmente porque eles têm, em média, estilos de vida mais saudáveis.

A impotência geralmente afeta negativamente a vida sexual e pode causar estresse adicional, depressão e baixa autoestima.

Compreender as causas potenciais mais comuns pode ajudar uma pessoa a identificar por que ela pode estar passando por essa condição.

1. Doenças Endócrinas
O sistema endócrino do corpo produz hormônios que regulam o metabolismo, a função sexual, a reprodução, o humor e muito mais.

Diabetes é um exemplo de uma doença endócrina que pode causar uma pessoa a experimentar a impotência. Diabetes afeta a capacidade do organismo de utilizar o hormônio insulina. Um dos efeitos colaterais associados ao diabetes crônico é a lesão do nervo. Isso afeta sensações no pênis. Outras complicações associadas ao diabetes são o fluxo sanguíneo prejudicado e os níveis hormonais. Esses dois fatores podem contribuir para a impotência.

2. Distúrbios Neurológicos e Nervosos
Várias condições neurológicas podem aumentar o risco de impotência. As condições nervosas afetam a capacidade do cérebro de se comunicar com o sistema reprodutivo. Isso pode impedir que uma pessoa consiga uma ereção.

Os distúrbios neurológicos associados à impotência incluem:

Doença de Alzheimer
Mal de Parkinson
tumores cerebrais ou espinhais
esclerose múltipla
acidente vascular encefálico
epilepsia do lobo temporal
Pessoas que tiveram a cirurgia da próstata também podem sofrer danos nos nervos que causam impotência.

Os ciclistas de longa distância também podem experimentar impotência temporária. Isso ocorre porque a pressão repetida nas nádegas e genitais pode afetar a função dos nervos.

3. Tomar medicamentos
Tomar certos medicamentos pode afetar o fluxo sanguíneo, o que pode levar a disfunção erétil. Uma pessoa nunca deve parar de tomar um remédio sem a permissão de seu médico, mesmo que seja conhecido por causar impotência.

Exemplos de medicamentos conhecidos por causar impotência incluem:

bloqueadores alfa-adrenérgicos, incluindo tansulosina (Flomax)
betabloqueadores, como carvedilol (Coreg) e metoprolol (Lopressor)
medicamentos quimioterápicos para câncer, como a cimetidina (Tagamet)
depressores do sistema nervoso central, como alprazolam (Xanax), diazepam (Valium) e codeína (encontrados em vários medicamentos de marca)
estimulantes do sistema nervoso central, tais como cocaína ou anfetaminas
diuréticos, como furosemida (Lasix) e espironolactona (Aldactona)
inibidores seletivos da recaptação da serotonina ou ISRSs (Prozac, Paxil)
hormônios sintéticos, como o leuprolide (Eligard)
4. Condições Relacionadas ao Cardíaco
Condições que afetam o coração e sua capacidade de bombear bem o sangue podem causar impotência. Sem fluxo sanguíneo suficiente para o pênis, uma pessoa não consegue atingir uma ereção.

A aterosclerose, uma condição que faz com que os vasos sanguíneos fiquem entupidos, pode causar impotência. Colesterol alto e hipertensão arterial (hipertensão) também estão associados a riscos aumentados de impotência.

5. Fatores de estilo de vida e transtornos emocionais
Para conseguir uma ereção, uma pessoa deve primeiro passar pelo que é conhecido como uma fase de excitação. Esta fase pode ser uma resposta emocional. Se uma pessoa tem um distúrbio emocional, isso afeta sua capacidade de se tornar excitada sexualmente.

Depressão e ansiedade estão associadas ao aumento do risco de impotência. A depressão é um sentimento de tristeza, perda de esperança ou desamparo. Fadiga relacionada à depressão também pode causar impotência.

A ansiedade de desempenho pode ser outra causa de impotência. Se uma pessoa não conseguiu realizar uma ereção no passado, ele pode temer que não consiga alcançar uma ereção no futuro. Uma pessoa também pode descobrir que não consegue alcançar uma ereção com um determinado parceiro. Alguém com disfunção erétil relacionada à ansiedade de desempenho pode ter ereções completas ao se masturbar ou ao dormir, mas não consegue manter uma ereção durante a relação sexual.

Abuso de drogas como cocaína e anfetaminas também pode causar impotência. O abuso de álcool e o alcoolismo podem afetar a capacidade de uma pessoa de atingir ou manter uma ereção também. Consulte o seu médico se você suspeitar que você pode ter um problema de abuso de substâncias.

SOLUÇÕES DE PARCEIROS DE SAÚDE
Obtenha respostas de um médico em minutos, a qualquer momento
Tem perguntas médicas? Conecte-se com um médico experiente, certificado pela diretoria, on-line ou por telefone. Pediatras e outros especialistas

Conheça também: > Xanimal bula

Se seu parceiro sofria de impotência?

Se seu parceiro sofria de impotência, você reconheceria os sinais?

A impotência é a condição em que um homem é incapaz de atingir ou manter uma ereção suficiente para a conclusão satisfatória de uma atividade sexual escolhida. É um problema comum, afetando pelo menos um em cada dez homens em todas as idades em todos os países. O problema pode ser global, na medida em que ocorre em todas as situações em que a atividade sexual é tentada, ou pode ser situacional – onde as ereções podem ocorrer em algumas situações, mas não em outras. Por exemplo, o homem pode ter boas ereções ao despertar, mas não consegue obter ou manter ereções quando tenta ter relações sexuais com o parceiro. Existem muitas causas diferentes de impotência, mas felizmente, atualmente, até 90% dos pacientes podem ser ajudados a recuperar sua potência.

Leia também: Impotência sexual masculina e feminina

Sinais indicadores
Um homem que está experimentando impotência muitas vezes se sente envergonhado e culpado por achar que é difícil falar sobre a situação, mesmo com seu parceiro. Em vez disso, ele pode manipular eventos para evitar situações nas quais a relação sexual possa ocorrer.

Exemplos comuns disso incluem ficar acordado até tarde da noite, de modo que seu parceiro esteja dormindo antes de ir dormir ou trabalhando mais horas do que o habitual no trabalho, de modo que esteja cansado à noite, vá dormir mais cedo que seu parceiro e está dormindo quando ela se retira para dormir. Outro jogo frequentemente usado é convidar amigos e parentes para a casa com freqüência, de modo a reduzir o tempo ‘privado’ que ele tem com o parceiro. Ele também pode começar a sair mais durante o dia, novamente para garantir que ele não esteja disponível se o parceiro quiser se aproximar dele sexualmente. E, claro, os homens podem evitar a ‘dor de cabeça’ quando se trata de sexo, como as mulheres tradicionalmente fazem.

Estas são todas as respostas normais para o problema, mas elas podem piorar o problema. Quando o homem pode atingir uma ereção, mas tem dúvidas sobre sua manutenção durante a relação sexual, ele pode reduzir o tempo gasto nas preliminares e ejacular logo após a penetração, antes de perder sua ereção.

Reação do parceiro
As mudanças no comportamento do homem, conforme descrito acima, podem fazer com que o parceiro pense que o homem está tendo um caso. Quando ela pensa isso, uma mulher às vezes reage tentando ser mais atraente e se comporta mais sexualmente para tentar ‘ganhar’ seu homem de volta. Obviamente, isso pode piorar a situação, pois vai colocar mais pressão sobre o homem e ele pode então tomar medidas mais extensas para evitar o contato físico com seu parceiro, uma reação que provavelmente reforçará a ideia errônea da mulher de que ele está tendo um caso.

Quando uma mulher sabe que seu parceiro está tendo problemas com ereções, ela pode reagir de várias maneiras. Algumas mulheres se sentem responsáveis ​​pelo problema: “Deve ser minha culpa ele estar com um problema. Talvez eu não seja mais sexualmente atraente para ele ”; ‘Talvez minha antipatia por muita experimentação sexual tenha feito ele perder o interesse’. Outras mulheres sentem-se fisicamente rejeitadas, insatisfeitas e ressentidas, sentimentos que podem facilmente se estender a outras áreas de suas vidas, levando a discussões e brigas, muitas vezes sobre coisas triviais. Quando um homem pode ter uma ereção, mas perde logo após a penetração, algumas mulheres se culpam pensando que suas vaginas são grandes demais para estimular suficientemente o pênis.

O que causa a impotência?
Existem muitas causas de impotência. Estes podem ser divididos amplamente em causas físicas ou psicológicas.

Causas físicas incluem condições que danificam os nervos ou vasos sanguíneos que alimentam o pênis, como diabetes, pressão alta, aterosclerose (formação de artérias, como ocorre quando o homem tem colesterol alto) e lesões na coluna vertebral. Os nervos e vasos sanguíneos também podem ser danificados como resultado de cirurgia no reto, próstata e bexiga, ou por radioterapia nos órgãos pélvicos. Outra importante causa física da impotência são as drogas. Muitos, mas não todos, os medicamentos prescritos para tratar a pressão alta e vários medicamentos usados ​​para condições psiquiátricas prejudicam as ereções. Fumar e beber álcool excessivamente também pode levar à impotência. Raramente, a impotência pode ser causada por ter muito pouca testosterona (sexo masculino
hormônio).

Conheça também: > Xanimal comprar

Seis ervas para o tratamento da disfunção erétil

Seis ervas para o tratamento da disfunção erétil

Dehidroepiandrosterona (DHEA) Erva daninha de cabra (epimedium) Ginkgo L-arginina Ginseng vermelho Yohimbine
A disfunção erétil é uma condição que afeta a capacidade do homem de atingir ou manter uma ereção adequada ao sexo.
A condição pode afetar os homens em qualquer idade, mas de acordo com a Academia Americana de Médicos de Família, a disfunção erétil (DE) é mais comum quando um homem tem 75 anos ou mais.

Inovações recentes em tratamentos médicos significam que agora existem mais medicamentos disponíveis para reduzir a disfunção erétil. No entanto, alguns homens preferem tomar suplementos de ervas como alternativa.

Muitas ervas mostram potencial para serem efetivas em melhorar a função sexual dos homens, mas poucas evidências realmente existem para apoiar o uso de qualquer medicação herbária no tratamento de ED. As pessoas devem sempre ter cautela ao tomar qualquer forma de suplementação de ervas.

O governo dos Estados Unidos não monitora as ervas. Não há consistência na força ou pureza das ervas vendidas, então elas podem estar contaminadas ou erradas. Algumas ervas podem interagir com os medicamentos tomados, por isso, qualquer pessoa considerando tomar ervas deve conversar com um médico ou farmacêutico sobre possíveis problemas.

O que você deve saber sobre a disfunção erétil?
O que você deve saber sobre a disfunção erétil?
Limpe aqui para descobrir tudo o que você precisa saber sobre a disfunção erétil.
LEIA AGORA
Dehidroepiandrosterona (DHEA)
O que é: DHEA é um suplemento que imita um hormônio esteróide natural no corpo e pode ajudar a tratar a disfunção erétil nos homens.

Alguns comprimidos derramando de um frasco.
Suplementos de DHEA imitam a ação de um hormônio esteróide natural.
As dosagens de DHEA variam de pessoa para pessoa. Alguns homens tomam entre 20 e 75 miligramas (mg) por cerca de 6 meses, enquanto outros podem tomar entre 100 a 400 mg por até 8 semanas.

Como funciona: os níveis naturais de DHEA diminuem à medida que a pessoa envelhece. O aumento da quantidade de hormônio adrenal pode ajudar o corpo a criar hormônios que melhoram as funções sexuais e também os níveis de energia.

Pesquisa: Um estudo de 1999 publicado na revista Urology mostrou que o tratamento com DHEA melhorou o desempenho sexual. No entanto, o estudo foi muito pequeno. Desde então, outras pesquisas mostraram resultados inconsistentes, com um relatório em 2012 sugerindo que o DHEA não ajuda a ED.

Efeitos colaterais: DHEA é geralmente seguro quando tomado em doses baixas. No entanto, a acne pode ser um efeito colateral.

Erva de bode com tesão (epimedium)
O que é: Esta erva chinesa tem sido usada para reduzir as causas associadas à disfunção sexual, incluindo disfunção erétil. As mulheres também podem tomá-lo para reduzir a incidência de intercurso sexual doloroso e perda da libido.

Como funciona: os pesquisadores não conhecem o mecanismo exato pelo qual o suplemento funciona. Mas os cientistas acreditam que alteram os níveis de certos hormônios no corpo, o que pode melhorar o desempenho sexual.

Pesquisa: Tomar plantas daninhas de cabra com tesão não foi estudado em pessoas. No entanto, um estudo publicado no Journal of Sexual Medicine estudou o efeito de um extrato purificado de epimedium em ratos. Ele descobriu que ratos que receberam o extrato demonstraram maior incidência de sangue fluxo do que aqueles que não o fizeram.

Os efeitos colaterais: Usando esta erva pode afetar a função cardíaca de uma pessoa. Aqueles com doença cardíaca não deve tomá-lo, pois pode causar batimentos cardíacos irregulares. A medicação também pode interagir com outras drogas.

Ginkgo
O que é: Ginkgo biloba é uma erva que os profissionais usam há milhares de anos para tratar uma série de condições de saúde. Exemplos incluem demência, ansiedade e fluxo sanguíneo fraco para o cérebro.

Folha do biloba do Ginkgo em um almofariz com um pilão.
Ginkgo tem sido usado para tratar muitas condições de saúde. Alguns acreditam que pode melhorar o fluxo sanguíneo para os órgãos sexuais masculinos.
Como funciona: os defensores de tomar ginkgo para disfunção erétil acreditam que o ginkgo dilata os vasos sanguíneos para promover o fluxo sanguíneo para os órgãos sexuais.

Pesquisa: A Mayo Clinic classifica as evidências de que o ginkgo no tratamento da disfunção erétil é um ‘C’, o que significa que não há evidências científicas claras para o uso da erva.

Leia também: Remédio para impotência

De acordo com a Universidade de Columbia, o ginkgo pode ser eficaz para ajudar a tratar a disfunção sexual que foi causada pela ingestão de inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), medicamentos prescritos para tratar a depressão.

Efeitos colaterais: Ginkgo pode aumentar o risco de sangramento, e as pessoas que tomam anticoagulantes não devem tomá-lo.

Outros efeitos colaterais incluem náusea, dor de cabeça, desconforto estomacal e irritação na boca.

L-arginina
O que é: A L-arginina é um aminoácido que os cientistas nos 1800s primeiramente isolaram do chifre animal. É incorporado em suplementos para aumentar a quantidade de óxido nítrico no organismo.

Como funciona: Quando tomado em doses elevadas, a L-arginina pode estimular os vasos sanguíneos a se tornarem maiores. Isso melhora o fluxo sanguíneo, o que poderia ajudar um homem a ter uma ereção.

Pesquisa: A L-arginina é frequentemente combinada com glutamato e

Fonte: https://www.mulherk.com.br/remedio-para-impotencia-sexual-anvisa-bula-preco-comprar-com-desconto/

Conheça também: > Xanimal Mercado Livre

Artigo de Revisão

Artigo de Revisão

Quais são os benefícios e malefícios da terapia com testosterona para a disfunção sexual masculina? – uma revisão sistemática

Leia também: Como aumentar o pênis

Abstrato
O papel da terapia com testosterona (TTh) no tratamento da disfunção sexual masculina ainda não está claro. O objetivo dos autores foi revisar sistematicamente a literatura relevante que avalia os benefícios e malefícios do TTh em homens com disfunção sexual. EMBASE, MEDLINE, Revisões Sistemáticas Cochrane – Cochrane Central Register de Ensaios Controlados (CENTRAL), Google Scholar, Portal Internacional de Pesquisa de Plataforma de Registros de Ensaios Clínicos da OMS, bancos de dados CINAHL e clinicaltrial.gov foram pesquisados ​​ sistematicamente em março de 2015 e uma busca atualizada foi realizada em março de 2016. Estudos comparativos randomizados e não randomizados avaliando os benefícios e malefícios do TTh em homens hipogonádicos, eugonádicos limítrofes e eugonadais que sofrem de disfunção sexual foram incluídos. Risco de viés e avaliações confundidoras foram realizadas. Uma síntese narrativa foi realizada. Dos 6410 resumos identificados, 36 estudos foram considerados elegíveis para inclusão, incluindo 25 ensaios clínicos randomizados (RCTs) e 11 estudos comparativos não randomizados (NRCS), recrutando um total de 4944 pacientes. ECRs foram julgados como tendo baixo ou pouco claro risco de viés, enquanto as SNRCs tinham alto risco de viés e, assim, a qualidade geral das evidências foi considerada, pelo menos, não clara. Com base nas evidências fornecidas principalmente pelos ECRs incluídos nesta revisão sistemática, a TTh pode ser considerada para homens com níveis baixos ou baixos de testosterona normal e problemas com o desejo sexual, a função erétil e a satisfação derivada do intercurso sexual e da vida sexual em geral. A formulação exacta da testosterona, a dosagem e a duração do tratamento permanecem por esclarecer, enquanto o perfil de segurança do TTh também permanece incerto. O TT poderia ser usado com cautela em homens eugonádicos hipogonadais e, provavelmente, limítrofes, para administrar distúrbios do desejo sexual, função erétil e satisfação sexual. A qualidade geral da evidência de baixa a moderada destaca a necessidade de ensaios clínicos robustos e adequadamente projetados.

Fonte: https://www.mulherk.com.br/como-aumentar-o-penis-de-verdade/

Conheça também: > Xanimal Mercado Livre

Maca Peruana (pó, cápsula): para que serve, benefícios, como tomar

Maca Peruana (pó, cápsula): para que serve, benefícios, como tomar

A maca peruana é pertencente à família das crucíferas, assim como o brócolis, o espinafre e a couve. Como o nome sugere, essa é uma planta originária do Peru, mais especificamente das regiões andinas.

Apesar de apresentar diversos benefícios, o seu potencial afrodisíaco é um dos que mais se destaca, o que leva a planta a ser conhecida como um viagra natural.

Leia também: Comprar Maca Peruana

Uma das histórias em torno da descoberta desse benefício diz que isso aconteceu quando colonizadores espanhóis, que se estabeleceram nas regiões montanhosas e frias dos Andes, observaram que os animais que os acompanhavam (como os cães, cavalos e mulas) tiveram uma queda na capacidade de procriação.

No entanto, essa dificuldade não se restringiu apenas aos animais, pois os próprios colonizadores perceberam que isso os atingia, mas que não acontecia com as espécies nativas e os moradores da região.

Foi então que descobriram uma raíz popular na região: a maca peruana. Em pouco tempo, associaram o consumo da planta ao aumento do desejo sexual, da resistência física e da fertilidade.

A maca peruana era comumente consumida em forma de farinha, na época, obtida artesanalmente. Hoje, a planta continua sendo usada desta forma, mas também comercializada em pó solúvel e industrializado.

De acordo com essa lenda, foi desse modo que começou a popularização dos benefícios dessa raiz que, atualmente, não é cultivada exclusivamente nos Andes.

Continue a leitura para saber quais os principais benefícios da maca peruana e entender porque ela é uma planta adaptógena.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

O que é?
Tipos
Para que serve?
Quais substâncias contém?
Benefícios da maca peruana
Maca peruana emagrece?
Como tomar?
Qual a quantidade necessária?
Contraindicações
Efeitos colaterais
Preço e onde encontrar
Maca peruana e Tribulus terrestris: qual é melhor?
Perguntas frequentes
O que é maca peruana?
A maca peruana, de nome científico Lepidium meyenii, também pode ser popularmente conhecida como Ginseng dos Andes ou Viagra dos Incas, é uma planta nativa da região dos Andes, no Peru, encontrada também em países como Colômbia, Bolívia, Argentina e Chile.

É uma planta perene que apresenta folhas pequenas e onduladas. A raíz é parecida com um rabanete, mas com a cor branco-amarelada, e de tamanho que chega até 8cm de diâmetro.

Dependendo do tipo, a coloração varia, como no caso da maca peruana vermelha e negra, mas em geral contém diversas propriedades essenciais para a saúde, como proteínas, cálcio, ferro, fibras, vitaminas do complexo B, vitamina C e carboidratos.

Contém fitoquímicos semelhantes aos hormônios sexuais femininos e masculinos e, por isso, pode ajudar a regular, por exemplo, o ciclo menstrual e as disfunções sexuais.

A parte comercializada para fins medicinais é a sua raiz, e pode ser consumida em pó ou em cápsulas. Principalmente por não apresentar um sabor tão agradável, pode ser misturada às refeições.

Entre os vários benefícios que pode proporcionar, os que se tornaram mais famosos são os de aumento de líbido e emagrecimento.

Diferente de algumas outras ervas medicinais, que possuem efeitos colaterais comprovados, a maca peruana não apresenta histórico de efeitos negativos e nem contraindicações.

Tipos
Existe uma variedade de mais de 13 tipos de maca peruana, sendo que as principais são cultivadas na região dos Andes. Essas plantas podem variar de cor, indo de branca, preta à vermelha, dependendo das condições do solo de cultivo. Além da coloração, cada tipo possui propriedades específicas.

Conheça os 3 tipos mais comuns:

Maca peruana amarela
É o tipo associado a benefícios como o aumento da libido em homens e mulheres e da produção e mobilidade dos espermatozoides.

Pode ajudar também a combater o estresse e a fadiga, além de atuar na prevenção do câncer de próstata.

Maca peruana preta
É indicada para pacientes que precisam de um aumento na resistência muscular, pois pode ajudar a definir a musculatura. Além disso, contribui para pacientes que precisam controlar os níveis de glicose no sangue e que estejam buscando aumento da libido.

Maca peruana vermelha
A maca peruana vermelha é uma planta importante para a manutenção da saúde óssea, pois auxiliar na densidade dos ossos e prevenir doenças como a osteoporose.

Também pode ajudar a melhorar a memória, a aumentar a fertilidade feminina e a aliviar os sintomas provocados pela TPM.

Para que serve?

A maca peruana é uma planta utilizada para fins medicinais, por isso é usada por muitas pessoas com o objetivo de melhorar a saúde física, mental e também a vida sexual como um todo.

Dessa forma, seu consumo serve não só pelo seu valor nutritivo, mas também pela possibilidade de ajudar na prevenção e tratamentos de diversas doenças.

Entre os povos andinos, onde teve origem, por milhares de anos a maca peruana foi usada como um medicamento natural para a fertilidade, vitalidade, desejo sexual e saúde mental.

Recentemente, a planta continua auxiliando homens e mulheres em relação a esses fatores, mas descobriu-se muitos outros benefícios.

Por afetar na produção dos hormônios, a maca peruana ajuda a equilibrar diversas funções do organismo.

Alguns dos usos têm como finalidade o combate ao estresse, o aumento da libido, o combate a osteoporose, a ajuda ao emagrecimento, a melhora no desempenho sexual e aumento da fertilidade, o combate a anemia e a prevenção de doenças como o Alzheimer.

Quais substâncias contém?
A lista de substâncias presentes na maca peruana é equivalente aos seus benefícios. A planta possui minerais, carboidratos, aminoácidos e vitaminas, formando uma lista extensa.

Apresenta, em uma quantidade de 100g, 50% a 70% de carboidratos, 2% a 4% de lipídeos, 158 calorias, 8% a 18% de proteínas, 8% a 9% de fibras solúveis e 23% de fibras insolúveis.

Sua composição química apresenta os seguintes princípios ativos:

Flavonoides: substâncias antioxidantes fundamentais para combater os radicais livres, protegendo o organismo do envelhecimento precoce e mantendo em equilíbrio os níveis de colesterol. Estão presentes em legumes, frutas e verduras;
Taninos: são substâncias importantes para proteger as plantas contra predadores e pragas. Apresentando um sabor amargo característico, elas proporcionam benefícios à saúde por serem também antioxidantes;
Esteroides: também conhecidos por fitoesterois, são compostos que ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares e no controle dos níveis de colesterol ruim (LDL);
Glicosídeos (saponinas): compostos com fins terapêuticos analgésicos, laxativos e cardíacos;
Alcaloides: são compostos derivados das aminas. Nas plantas, possuem ação protetora contra predadores e insetos. Na indústria farmacêutica, são usados em medicamentos como a morfina;
Antocianidinas: são pigmentos que fazem parte do grupo de flavonoides, sendo responsáveis pela cor da planta.
Entre sua composição alimentícia apresenta:

Proteínas: essenciais para os músculos
Carboidratos: importantes para obtenção de energia;
Fibras: auxiliam no funcionamento intestinal;
Vitaminas B1, B2, B12, B6, C e E: fundamentais para a produção de células e para o fortalecimento do sistema imunológico;
Cálcio: age no fortalecimento e manutenção óssea;
Ferro: ajuda a combater a anemia;
Selênio: importante na prevenção de problemas cardíacos;
Fósforo: assim como o cálcio, fortalece os ossos e os dentes;
Magnésio: melhora o desempenho físico;
Zinco: essencial para o sistema de defesa do organismo.
Benefícios da maca peruana
A maca peruana possui uma lista bem extensa de benefícios, onde os que mais se destacam estão relacionados ao seu poder energético e restaurador físico e psicológico.

Por influenciar na ação das glândulas endócrinas hipófise e hipotálamo, a maca peruana afeta diretamente questões hormonais,relacionadas à ação dos hormônios tais como o ciclo menstrual, fertilidade, sintomas da TPM, menopausa, a espermatogênese e a líbido, por exemplo.

Também foi observado que essa planta pode ajudar no tratamento de doenças como anemia, desnutrição, descalcificação, osteoporose e depressão. Além disso, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico.

Por apresentar boas quantidades de esteróis, a maca peruana também pode ser uma alternativa para atletas, pois é uma opção mais saudável para aqueles que buscam um melhor desempenho.

Conheça um pouco melhor os principais benefícios da planta:

Efeito afrodisíaco
Esse é um dos efeitos mais famosos da maca peruana. Seu poder afrodisíaco se relaciona com vários outros benefícios da planta.

No estudo realizado na Universidad Peruana Cayetano Heredia, com homens de idade entre 24 e 44 anos, foi possível observar que o consumo da maca peruana influenciou no aumento da quantidade de sêmen, espermatozoides e na motilidade espermática (capacidade de locomoção dos esperatozoides).

Além de influenciar nesses aspectos, o consumo do tubérculo demonstrou ser capaz de aumentar o desejo sexual e reduzir o estresse, em ambos os sexos.

Esses efeitos, acredita-se, estão relacionado à ação da maca nas glândulas hipotálamo e suprarrenais.

A maca peruana apresenta também entre seus benefícios relacionados à vida sexual a possibilidade de aumentar o estímulo da ereção e o aumento da fertilidade.

Contribui para o tratamento de diabetes
A maca peruana pode ajudar no controle e prevenção de diabetes ao diminuir a velocidade de absorção de glicose pelo corpo por conter boas quantidades de fibras.

Por ter essa quantidade de fibras, possui um baixo índice glicêmico. Assim, consegue evitar que o organismo sofra picos de insulina, o que pode acabar sobrecarregando o pâncreas e, ao longo do tempo, acabar provocando a diabetes.

Energizante e estimulante
A maca peruana é estimulante e energizante por ser uma raiz que apresenta carboidratos complexos, importante nutriente fonte de energia.

Também apresenta vitaminas do complexo B, grupo vitamínico essencial para a produção de energia e para fortalecimento da defesa do organismo.

É benéfica para o coração
Essa planta é uma aliada quando se trata de prevenção a doenças cardiovasculares, pois possui uma série de nutrientes que contribuem para a saúde do coração, tais como oa ômega 3, magnésio, vitamina B2, fósforo e aminoácidos essenciais como arginina e taurina.

Ajuda no tratamento da anemia e desnutrição
Para combater a anemia é fundamental manter uma alimentação rica em ferro. Sem consumir as necessidades diárias, nosso organismo pode desenvolver uma anemia ferropriva.

Essa deficiência do nutriente leva a prejuízos no transporte de oxigênio pela corrente sanguínea, uma vez que é fundamental para a síntese das células vermelhas do sangue (hemácias).

O consumo da maca peruana pode ajudar no tratamento de quem está com deficiência nutricional, mas como apoio. Pois, nesses casos, o paciente pode precisar de quantidades maiores de ferro do que a maca peruana pode oferecer.

De qualquer forma, o ideal é seguir as recomendações médicas e buscar também outros alimentos que possam ajudar no tratamento.

Em pacientes com desnutrição, a mesma coisa. Por conter diversas substâncias essenciais para o organismo, o consumo da maca se torna muito positivo quando aliado a uma alimentação equilibrada.

Pode melhorar a pele
A maca peruana pode ajudar a suavizar alguns problemas de pele, como acnes e manchas. Além disso, seu uso também está associado a uma redução da sensibilidade da pele diante de temperaturas muito quentes ou frias.

Contudo, embora existam esses benefícios atribuídos a maca peruana, vale lembrar que o consumo da planta não dispensa ou substitui um acompanhamento dermatológico para o tratamento de problemas de pele.

Fortalece o sistema endócrino
O consumo da maca peruana pode ajudar a estimular o modo natural de produção dos hormônios sexuais femininos e masculinos, como o progesterona e a testosterona. Dessa forma, tem efeito na melhora da líbido, reduzindo problemas relacionados à diminuição do desejo e potência sexual.

Por interferir na ação dos hormônios, a maca peruana também pode ajudar a amenizar os sintomas da menopausa, reduzindo os sinais característicos desse período, tais como as ondas de calor (fogachos), suores noturnos, redução da libido, fadiga, etc.

Contribui no tratamento de casos de descalcificação e osteoporose
A descalcificação é uma condição em que o cálcio contido nos ossos se perde. Esse problema pode acontecer por uma série de causas e acabar acarretando em doenças como a osteoporose, por exemplo.

Dessa forma, a saúde óssea da pessoa fica prejudicada e mais vulnerável a quedas, sendo a recuperação dos ossos mais lenta e dolorosa.

O papel da maca peruana é ajudar para que essa descalcificação não ocorra. Isso acontece pelo fato da planta apresentar quantidades de cálcio que ajudam a compor as doses necessárias.

É benéfico para a saúde da mulher
Assim como para os homens, a maca peruana apresenta alguns vários benefícios para as mulheres. Isso acontece porque a planta apresenta vários nutrientes essenciais, mas também porque interfere na produção de hormônios como o progesterona.

Dessa forma, a maca peruana pode ajudar a diminuir a secura vaginal, regula o ciclo menstrual, contribui para a redução dos sintomas da menopausa, aumenta a fertilidade, ameniza os sintomas da TPM e aumenta a libido.

Combate o envelhecimento e é bom para a memória
A maca peruana possui vitamina E e por isso contribui para um envelhecimento saudável. Essa vitamina, por ser antioxidante, ajuda a proteger o organismo dos radicais livres e do falecimento precoce das células.

No caso de doenças crônicas degenerativas, a maca apresenta mecanismos preventivos através da ação de seus polifenóis e isotiocianatos na redução dos danos oxidativos.

Como consequência, ajuda a reduzir os riscos de doenças como Alzheimer, Parkinson, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Por esse e outros fatores, também é considerado um ótimo suplemento para fortalecer a memória e a concentração.

Ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade
Outros benefícios que a maca peruana pode proporcionar são a redução do estresse e da ansiedade.

Tais efeitos ocorrem devido a presença de compostos bioativos e fenólicos, que ajudam a proporcionar alívio do estresse mental, além de melhorar a saúde das células. Assim, seu consumo pode ajudar a trazer maior bem-estar físico e psicológico.

Maca peruana emagrece?

A maca peruana pode ajudar quem quer emagrecer por ser uma raiz que apresenta boas quantidades de fibra e carboidratos complexos, assim auxilia a pessoa a se sentir mais saciada e com menos fome.

Consequentemente, com essa redução do apetite, as pessoas tendem a ingerir uma quantidade mais baixa de calorias, o que é benéfico para quem quer perder peso.

Outra característica da maca que pode ajudar no emagrecimento é o fato das fibras contribuírem para o bom funcionamento do intestino, reduzindo o inchaço na região abdominal.

Além disso, a planta apresenta poucas calorias. Duas colheres de chá da farinha possuem cerca de 30 calorias, o que é pouco se comparada a outros tipos de farinhas.

Outros benefícios da maca peruana que podem ajudar no emagrecimento são a redução do estresse e ansiedade. Dessa forma, pode ajudar as pessoas que descontam as emoções na alimentação a amenizar os gatilhos que levam a compulsão alimentar.

Entretanto, é necessário compreender que nessas situações, o consumo da maca ou de outros alimentos atua mais como auxiliar. Pessoas que apresentam um comportamento alimentar compulsivo ou que estão acima do peso por condições clínicas devem buscar um tratamento e acompanhamento médico adequado.

Dessa forma, é importante ressaltar que a maca peruana não ajuda a emagrecer quando não existe uma combinação de alimentação saudável e exercícios físicos.

Caso o seu consumo seja exclusivamente para este objetivo, é aconselhável conversar com um nutricionista para alinhar o uso da planta a outros hábitos saudáveis.

Como tomar?
Normalmente, a maca peruana é consumida em pó ou em cápsulas. Quando em pó, pode ser dissolvida na água ou em um suco, na quantidade de uma colher de sopa, uma vez ao dia.

Em cápsulas, a quantidade é sempre mais exata. Normalmente, é consumida três vezes ao dia, antes das principais refeições ou conforme a orientação de um especialista.

Além de misturar a maca peruana em água e sucos, é possível adicionar o produto em outros alimentos, tais como vitaminas, saladas, pratos quentes e café.

Quando misturada a farinhas, por exemplo, a raíz acrescenta um maior valor nutricional às receitas, o que pode ser utilizado no preparo de bolos, pães ou panquecas.

Em líquidos, no entanto, o mais indicado é que a maca seja misturada com um liquidificador, pois por ser um pó mais fibroso, pode ser difícil de diluir.

O único cuidado deve ser em relação a temperatura dos pratos, pois quando muito elevadas podem levar a maca peruana a perder suas propriedades.

E, quanto ao sabor, há pessoas que comparam a planta ao sabor do amendoim ou do caramelo, por ser adocicado. Por isso, pode ser mais agradável quando somado a pratos doces.

É interessante experimentar em qual combinação ele se torna mais agradável, para que o consumo não seja ruim.

O uso, preferencialmente, não deve ser contínuo, pois a planta pode ter seus efeitos potencializados, a longo prazo. O mais recomendado é usar por determinados períodos e fazer pausas. Dessa forma, o organismo consegue ‘descansar’ e, ao retornar o uso, os efeitos continuam.

Qual a quantidade necessária?
A quantidade necessária para obter os benefícios da maca peruana pode variar para cada pessoa. As cápsulas normalmente apresentam 500mg do produto, sendo a dosagem recomendada de 500mg a 1200mg ao dia.

Quem melhor pode auxiliar a encontrar a dosagem ideal é o médico ou nutricionista que acompanha o paciente.

A maca peruana apresenta contraindicações pontuais e efeitos colaterais apenas em pessoas alérgicas, mas mesmo assim deve ser utilizada de forma responsável. O ideal é iniciar com doses menores e que se vá aumentando ao passar do tempo, de acordo com os resultados esperados.

Outra característica curiosa no uso da maca peruana está no fato de seus benefícios se acumularem com o uso, fazendo com que as doses iniciais possam ser reduzidas sem haver diminuição dos efeitos.

Contraindicações
Com exceção às crianças e hipertensos, de modo geral, a maca peruana não apresenta contraindicações e nem interações, podendo ser consumida por qualquer pessoa que não tenha alergia à planta. Em outros casos, alguns cuidados devem ser tomados por precaução.

Pessoas que utilizam medicamentos com hormônios, como no caso de anticoncepcionais orais ou pacientes que realizam terapia hormonal, é necessário consultar a possibilidade de utilizar a maca peruana com o médico, pois o produto pode alterar ou inibir o efeito do hormônio.

Gestantes e lactantes também devem verificar previamente os riscos do uso com um especialista.

Efeitos colaterais
Pouco se sabe sobre os efeitos colaterais da maca peruana. Até então, esse tipo de suplemento, digamos assim, se mostrou bastante seguro para as pessoas que não possuem alergia à planta.

No entanto, como tudo em excesso deve ser evitado, o mesmo vale para a maca peruana. Embora ofereça diversos benefícios, o seu consumo exagerado não é recomendado, principalmente pelo fato de poder influenciar no balanço hormonal do organismo.

A ingestão em doses elevadas pode causar um desequilíbrio na produção hormonal e causar consequências sérias em relação ao sistema endócrino.

Portanto, para garantir a preservação da saúde e aproveitar os benefícios dessa planta, é necessário bom senso em relação às quantidades.

Diante do surgimento de qualquer sintoma após o uso da maca peruana, é fundamental procurar ajuda médica.

Preço e onde encontrar
É possível encontrar a maca peruana em lojas de produtos naturais e em farmácias. Por ser um produto processado no Peru, em outros países é comercializado apenas em cápsulas e em farinha.

O preço pode variar muito dependendo do produto, loja ou marca, variando entre 20 reais e 110 reais.

Essa diferença inclui fatores como a quantidade de cápsulas ou, quando vendida em pó, o preço por Kg, por exemplo.

Maca peruana e Tribulus terrestris: qual é melhor?
Assim como a maca peruana, o Tribulus terrestris também é uma planta conhecida por seu efeito estimulante, capaz de aumentar a libido, melhorar a fertilidade e regular a produção de hormônios.

É considerado um fitohormônio com efeito semelhante à testosterona, um hormônio presente também nas mulheres, mas nos homens em maior quantidade.

Dizer qual dos dois é o melhor não é tão simples. Para chegar a essa resposta, é necessário analisar quais os objetivos que se busca alcançar.

O tribulus está mais associado aos efeitos da testosterona, tendo como principal benefício proporcionar uma ereção mais duradoura. A maca peruana, por outro lado, está mais ligada ao aumento da fertilidade e da líbido.

Por apresentarem efeitos parecidos pode não ser necessário fazer o uso dos dois ao mesmo tempo. Para verificar essa possibilidade e para entender qual pode ser melhor, é importante buscar uma orientação médica.

Perguntas frequentes
Conheça algumas das dúvidas mais comuns sobre essa raiz afrodisíaca:

Como a maca peruana equilibra os hormônios?
A maca peruana é considerada uma planta adaptógena, o que significa que ela é capaz de se adaptar às necessidades do organismo de quem a consome, proporcionando benefícios específicos de acordo com o que cada pessoa precisa.

Por exemplo, uma mulher que está entrando na menopausa começa a apresentar sintomas como suores noturnos, fadiga, tonturas e palpitações, pois seu organismo não está mais produzindo a mesma quantidade de hormônios do que antes.

Dessa forma, pelo fato da maca peruana interferir na ação da hipófise e hipotálamo, duas glândulas fundamentais para o bom funcionamento do sistema endócrino, ela ajuda a equilibrar a quantidade de hormônios.

Essas glândulas são responsáveis por produzir e secretar os hormônios e auxiliar no funcionamento de outras glândulas importantes, tais como a tireoide, suprarrenal, gonadais etc.

Nos homens, a maca peruana ajuda também a regular os níveis de testosterona, melhorando a vida sexual.

A maca peruana é aprovada pela ANVISA?
Sim, a maca peruana é registrada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária como um produto alimentar. No entanto, em alguns momentos, a agência chegou a suspender o produto e propagandas sobre ele em todas as mídias, devido a divulgação de vários benefícios não comprovados cientificamente.

Maca peruana ajuda a engravidar?
A maca peruana pode ajudar mulheres que querem engravidar por contribuir para o equilíbrio dos hormônios produzidos pelo sistema endócrino, tais como o progesterona, fundamental para que a evolução aconteça.

A raíz pode também proporcionar benefícios como o aumento da produção de espermatozoides.

Em relação ao estado emocional da mulher, que pode acabar interferindo na gravidez, a maca peruana pode contribuir para que se sintam mais tranquilas, pois auxilia na produção de neurotransmissores associados ao bem-estar e à redução da ansiedade.

A maca peruana é usada como reposição hormonal?
Não. Apesar de ajudar a equilibrar a produção de hormônios, a maca peruana não é utilizada para reposição hormonal, pois, como visto, não é um hormônio.

Por ser usada como suplemento, as pessoas podem começar a consumi-la por diferentes motivos e a qualquer momento deixar de usar, diferente de uma reposição hormonal, que deve ser um tratamento orientado por um endocrinologista ou ginecologista e que não deve ser interrompido sem a orientação médica.

Posso utilizar a maca peruana de modo contínuo?
O uso contínuo da maca peruana não é recomendado. Para potencializar os efeitos da planta, o ideal é usar por determinados períodos e fazer pausas.

Se o seu consumo é contínuo por 90 a 120 dias, o ideal é interromper o uso por 30 dias, por exemplo. Assim, o organismo consegue ‘descansar’ e ao retornar o uso, os efeitos continuam.

Nesse artigo buscamos mostrar como a maca peruana, uma planta medicinal e afrodisíaca, pode ser utilizada para vários benefícios, tanto para a saúde dos homens quanto para a das mulheres. Se você já faz uso, conte-nos quais foram os resultados obtidos. Obrigada pela leitura!

Conheça também: > Xanimal funciona